Monthly Archives

junho 2015

Schwäbisch Hall foi nossa primeira parada turística na Alemanha. Meus amigos queridos que nos hospedaram próximo à Stuttgart (obrigada Sandra e Jürgen! ♡) nos levaram para conhecer a cidade, fundada no século XII. Sua história é impressionante, tendo grandes marcos na Idade Média, na Guerra dos Trinta Anos, na II Guerra Mundial e até nos dias de hoje, como um importante pólo econômico. Schwäbisch Hall parece saída de um conto de fadas (ou um livro de história) é repleta de becos, muralhas, pontes e construções maravilhosas. Se você for uma pessoa ligada a

Eu e o Lucas estamos juntos há três anos e nunca trocamos presentes no Dia dos Namorados (e nem no aniversário de namoro). Sempre decidimos somar os gastos com jantar + presentes e fazer uma viagem pra um lugar por perto. Já fomos para Avaré (quando o Lucas morava em Sorocaba), Ibitipoca, Brumadinho, Ouro Preto, Catas Altas… E a lista continua crescendo. Nós achamos que esse esquema funciona muito bem pra gente e dá pra passear gastando realmente pouco dependendo do tipo de viagem. Pra você que ainda tá sem

O post de hoje é um “resumão” explicando nosso roteiro para a Islândia pra ajudar vocês a programarem a sua viagem. Esses dias um amigo me perguntou se cinco dias foram suficientes e posso afirmar que pra mim não foram e que fui embora com a vontade de ter pelo menos mais cinco dias por lá para dar a volta completa na ilha. Mas se você quiser ver o principal, conhecer a capital e tentar ver a aurora boreal, esse período vai te atender super bem! Vamos ao roteiro? DIA

Na Islândia, uma aglomeração de 300 habitantes já é considerada zona urbana. Se não fosse por isso, poderíamos considerar o país como essencialmente rural, já parte da população está em fazendas e casas de campo. Pra vocês terem uma ideia, a décima maior cidade do país tem somente 2.534 habitantes, enquanto aqui no Brasil a nossa décima maior (Porto Alegre) tem quase 1,5 milhão de pessoas. Considerando essa característica, achei muito interessante a possibilidade de nos hospedar em uma fazenda na Islândia. Quando escolhemos Vík como nosso ponto de apoio, comecei

1. Você pode fazer somente o que te agrada Não precisa encaixar na programação aquele museu que não te agrada, programas turísticos furada ou um restaurante que não vale a pena. Você pode fazer tudo o que quiser – somente o que quiser! 2. Dá pra mudar ou até cancelar a programação do dia sem nenhum conflito Tinha um dia cheio, mas decidiu dormir até mais tarde? O museu pareceu sem graça e resolveu passar a tarde na praia? O restaurante estava cheio, então preferiu comer um hambúrguer na esquina?

1 2 Page 2 of 2