As praias de areia negra de Vík í Mýrdal

 Depois de percorrer 186km de um maravilhoso trecho da Ring Road, você chegará em Vík, um dos principais pontos de parada e descanso para quem percorre o sudoeste da Islândia. A vila, oficialmente nomeada Vik í Mýrdal, tem cerca de 300 habitantes e é especialmente famosa por suas praias de areias negras.

Como uma vila, Vík tem uma estrutura mínima. Por lá encontramos um supermercado, uma loja de bebidas alcoólicas (com horários bem restritos), dois restaurantes e alguns postos de gasolina, mas não exploramos tão bem, então pode ser que haja alguns “tesouros escondidos”.

Quanto à hospedagem, há algumas poucas opções ali mesmo e algumas outras nas redondezas. Decidimos nos hospedar em uma fazenda próxima, entre Skógar e Vík, para termos uma melhor chance de ver a aurora boreal longe das luzes da vila. Depois vou contar melhor sobre essa experiência :)

As praias de Vík são a grande atração da região, caracterizadas por suas areias negras e formações vulcânicas. Os dois melhores pontos para conhecer essas maravilhas estão nas saídas 215 e 218, ambas antes de chegar na cidade.

DYRHÓLAEY (Saída 218)

Dyrhólaey é uma pequena península de origem vulcânica que te dá uma visão incrível das praias, das colunas de lava de Reynishverfi, do glacial Mýrdalsjökull e até mesmo da cachoeira Selfoss, dependendo das condições do tempo. Pra completar o visual, na frente da península há, ainda, um lindo e enorme arco formado também por lava. No verão, Dyrhólaey vira casa dos puffins, famosos pássaros islandeses e um dos grandes símbolos do país.

Para chegar até lá basta pegar a saída 218, que fica 13km antes de chegar à Vík e seguir as placas e estradinhas até o final. Depois, basta ter ânimo para caminhar um pouco e explorar as redondezas. Não se esqueça do casaco, venta bastante em cima das pedras!

iceland-andarcomigo-12

iceland-andarcomigo-14

REYNISHVERFI (Saída 215)

A graça de uma praia é colocar o pé na areia, né? Ainda mais quando ela é tão diferente! Aqui em Reynishverfi você consegue passear pela praia e até chegar perto das ondas, apesar de ser extremamente contra indicado ir perto demais do mar (ondas muito agitadas e água geladíssima).  Reynishverfi tem também formações vulcânicas muito peculiares, com grandes colunas no meio do mar e um paredão enorme de colunas hexagonais, formadas com o resfriamento da lava. Dá pra escalar facilmente esse paredão, só tomando cuidado com o vento e umidade.

Para chegar até lá basta pegar o acesso 215, cerca de 3km depois de Dyrhólaey. Há um grande estacionamento e até mesmo um hotel, banheiro e restaurante.

iceland-andarcomigo-16 iceland-andarcomigo-15

iceland-andarcomigo-17E aí, você já viu uma paisagem parecida em algum lugar na sua vida? Eu nunca tinha visto nada igual e fiquei impressionada! E a areia? Tudo muito lindo, gente. Essa Islândia… ♡


Mais conteúdo sobre a Islândia:
Caça à Aurora Boreal: O resultado
Aplicativos que vão te ajudar na caça à Aurora Boreal
Tudo o que você precisa saber sobre a Islândia
Vale a pena alugar carro na Islândia?
O que fazer em Reykjavík?
Comida típica islandesa no Café Loki
Golden Circle: Um dia imperdível na Islândia
Skógafoss e Seljalandsfoss: As cachoeiras no caminho até Vík
Jökulsárlón na Islândia: A maior lagoa glacial do país
Dormindo em uma fazenda na Islândia
Roteiro para a Islândia: 5 dias

Tássia Rabelo

Oi! Meu nome é Tássia, tenho 25 anos e sou aquariana. Minha paixão por viajar veio cedo. Meus primeiros passos foram em uma viagem pra praia e ainda criança aprendi que dormir em uma barraca é normal, ouvir idiomas esquisitos é incrível e conhecer gente diferente é melhor ainda! Sou de Belo Horizonte e apaixonada por Minas Gerais e pelo meu Brasil, mas já morei em alguns outros lugares pelo mundo. Adoro fotografar, ler, fazer projetos manuais, cozinhar, assistir seriados, pesquisar sobre coisas aleatórias, me perder no mundo da internet e ouvir podcasts.

Deixe uma resposta